MUSIC

MUSIC LYRICS

Nádia

Nádia sem nada a perder
Nádia quer tudo esquecer
Quer ser outra mulher
num lugar qualquer
longe do que a viu nascer

 

Nádia sem nada a temer
Nádia com tudo a temer
Atravessa o mar Egeu
escuro como breu
dois filhos, um abraço
frio, medo e cansaço

 

Dias e dias, noites e noites
de uma viagem sem fim
Podem um começo e um final
ser tão iguais assim?

 

Nádia não sabe nadar
Nádia no meio do mar
Tem a cara já molhada
ajuda a disfarçar
as lágrimas que devolve ao mar

 

Dias e dias, noites e noites
de uma viagem sem fim
Podem um começo e um final
ser tão iguais assim?

O melhor presente

Vais receber o melhor presente
que o saibas estimar e querê-lo pra sempre que o saibas cuidar
tudo ensinar
que o saibas amar

 

Vais receber um melhor amigo
que vai partilhar a vida toda contigo os irmãos mais velhos são
os heróis do batalhão
da nova geração

 

E no meu colo sempre haverá espaço pra dois
que o colo de uma mãe aumenta quando chega alguém por mais que ainda não entendas posso prometer
que este é o melhor presente que irás receber

 

Vão discutir não vais ter paciência
vais exigir a tua independência
tudo isso é normal
fica sempre igual
não te vou mentir

 

vão discutir quem tem o comando
o lugar do carro, quem toma banho primeiro
mas uma coisa eu sei
não vai haver ninguém
que te conheça tão bem

 

E no meu colo sempre haverá espaço pra dois
que o colo de uma mãe aumenta quando chega alguém por mais que ainda não entendas posso prometer
que este é o melhor presente que irás receber

O verdadeiro amor

Se eu fosse tua
e tu fosses meu
o mundo inteiro iria ver
o verdadeiro amor acontecer

 

E esse amor seria
para o mundo inspiração
e em cada canto, cada lugar
alguém se iria apaixonar

 

Dentro do meu peito
há um amor prisioneiro
que anseia a liberdade
mas teme a perpetuidade
de amar sem ser inteiro

 

Mas eu sou tão tua
e tu não és meu
e o mundo inteiro não irá ver
o verdadeiro amor acontecer

Dois namorados

Quando nada indicava
que a vida que levava
fosse mudar rápido assim
Pois eu era mais velha
que os velhinhos do jardim

 

Quando os dias não passavam
e só falava na saúde
vi-te na rua
reconheci-te
dos nossos tempos de juventude

 

Não tinhas casado
nem tinhas ninguém
e disseste ser feliz assim
Que a única mulher
de quem gostaste de verdade
mas que já tinha cara-metade
foi de mim

 

E dormimos encaixados
dois namorados
sem tempo a perder
cabelos brancos desalinhados
pés entrelaçados
já sem medo de adormecer

 

E eu que acreditava
que a vida só nos dava
um amor assim uma só vez Dou-te um abraço apertado
e vamos de braço dado
pra todos verem o que a vida fez

 

E dormimos encaixados
dois namorados
sem tempo a perder
cabelos brancos desalinhados
pés entrelaçados
já sem medo de adormecer

Benjamim

Sabes tudo de mim
o meu princípio e fio
onde quero ir
e onde não vou

 

Sabes ver dentro de mim
onde ninguém pode entrar
Onde os que vieram
não querem voltar

E assim vivemos os dois
Sem fazer conta de nada
Somos morada
dos nossos corações
Amando só porque sim
Vivemos assim
Eu pra ti, tu pra mim
meu Benjamim

 

Amas mesmo em dia não
e quando não peço perdão
Quando o vento sopra noutra direção

 

E assim vivemos os dois
Sem fazer conta de nada
Somos morada
dos nossos corações
Amando só porque sim
Vivemos assim
Eu pra ti, tu pra mim
meu Benjamim

Só um beijo

Já te pedi
até insisti
pra não chegares perto
Perto de mim
é melhor assim
que algo incerto
E eu não sou de grandes paixões
quebrar corações
não é para mim
prefiro evitar
no meu canto ficar
é melhor assim
Mas tu
Não me quiseste ouvir
voltaste a insistir
em chegar perto assim
egoísta, ruim
Sei que foi só um beijo
mas não foi só um beijo
pra mim

 

No instante em que te vi
deixei de procurar
não tinha mais sentido
Se aquilo que buscava
e sem saber sonhava
era contigo
E desde logo ignorei o teu pedido
pois o que dizia a tua boca
era pelos olhos desmentido
Investi sem hesitar
nunca quis nada tanto assim
Tudo fiz por um beijo
mas não foi só um beijo
pra mim

Maria do mar

Todos os dias Maria
olhava o mar pela janela
Maria era do mar
mas o mar não era dela

 

E por viver numa ilha
no meio do azul plantada
Maria além do nome
tinha o mar como morada

 

Maria, Maria do mar
se o vento voltar
solta o cabelo
Vai ver os barcos partir
o dia há-de vir
em que um queira ficar
e só no teu nome navegar

 

Sabe prever tempestades
conhece as marés
e os peixes que bem cedo
lhe vêm beijar os pés

 

Maria, Maria do mar
se o vento voltar
solta o cabelo
Vai ver os barcos partir
o dia há-de vir
em que um queira ficar
e só no teu nome navegar

Não sei ser

Assim que nasce a manhã
E me acorda bem devagar
vejo se decidiste voltar

 

E a desilusão
faz de mim derrotista
balanço na corda da vida como um equilibrista

 

Não sei ser
Não sei ser
Não sei ser sem ti (2x)
Já só com um sopro canto
até que ele chegue ao fim

 

E há um vazio no peito
Um não saber ser por direito
E algo que sem se ver faz-me um
Ser imperfeito

 

Não sei ser
Não sei ser
Não sei ser sem ti (2x)
Já só com um sopro canto
até que ele chegue ao fim

Querida Rosa

Querida Rosa és a flor mais bonita
que algum jardim viu nascer
pode haver no teu canteiro
uma rosa parecida
mas nenhuma tem o cheiro
da flor da minha vida

 

Querida Rosa, minha prosa, poesia
és a mais bela sem saber
e se alguém vier certeiro
pra ter colher primeiro
terá antes de me ver morrer

 

Serei o teu fiel jardineiro
mesmo quando a primavera terminar
Se te crescer um espinho cuidarei com carinho
para que ele não te possa magoar

 

Querida Rosa se o mundo acabasse
e só ficasses tu e eu
para mim bastaria saber que acordaria
cada dia com um beijo teu

Mesma rua mesmo lado

Eram os dois da mesma aldeia
mesma rua mesmo lado
mesmo jeito de criança
mesmo ar envergonhado
Havia até quem dizia
que eram uma só pessoa
pois só se separavam
à noite quando chegavam
à rua onde moravam

 

Mas o tempo foi passando
com ele o jeito de criança
e aquela uma só pessoa
já era quase só lembrança
Ele esperava por ela
mas ela tinha outros planos
Tinha encontrado o amor
amor que ele conhecia
há tantos tantos anos

 

Foi da janela do quarto
que a viu sair para o casamento
Chorou como se estivesse
no altar naquele momento
E foi dizendo bem baixinho
que prometia ser fiel
e ali naquele momento
sentiu o toque dela
e no dedo o anel

 

Preferiu viver sozinho
para se ela quisesse voltar
mesmo quando bem velhinho
não se cansou de esperar
Sabia que ela estava longe
mas não deixou de acreditar
que um dia ela viveria
na mesma aldeia, mesma rua, mesmo lado
mesmo lar

Envergonhado

Não fiques triste se eu
pareço desligada
isso não quer dizer
que não esteja apaixonada

 

Enquanto outros escrevem
poemas declarações
eu sinto mas baixinho
sem mostrar as emoções

 

Quero que saibas, meu amor
também eu arrasto a asa
e há uma festa cá dentro
sempre que chegas a casa
Que quando acordo e vejo
que ainda não foste embora
é noite de santos cá dentro
mesmo não se ouvindo aí fora

 

Perdoa então meu bem
o meu modo abrutalhado
porque este amor apesar de grande
é também envergonhado

TOUR

VIDEOS

DISCOGRAPHY

Rosa

2018

Luísa

2016

Lu-Pu-i-Pi-Sa-Pa

2014

There’s a Flower in my Bedroom

2013

The Cherry on my Cake

2011

BIOGRAPHY

Luísa Sobral one of the most important composers and singers from the new generation of Portuguese artists.

 

Luisa began her recording career in 2011, after graduating with flying colours from the prestigious Berklee College of Music in Boston. Her first album, ‘The Cherry On My Cake’ was an instant success in Portugal. It remained at the top of the charts for many weeks and quickly went platinum. Luisa, who immediately embarked on a Portugal-wide tour, soon found that her fame was spreading overseas as well.

 

Her Spanish début took her to some of the country’s best-known events, including the Barcelona Jazz Festival and the Cartagena Jazz Festival. She went on to perform in numerous countries, including England, France, Turkey, Israel, Germany, Switzerland, Luxembourg, the USA, Morocco, South Africa, Namibia, Zimbabwe, Botswana and Brazil. She has been the support act for such top-drawer performers as Ute Lemper (at the Union Chapel, in London) and Melody Gardot (at the London Jazz Festival and throughout Melody’s German tour). Critics far and wide have heaped praise on this Portuguese artist’s talent and she has already won two Globos de Ouro (Portugal’s version of the Golden Globe Awards) nominations and appeared on the mythical BBC 2 show “Later… with Jools Holland”.

Read more

Luisa Sobral tested out a new direction with her second album. She made her sound more mature and complex, with crossovers from the worlds of folk and indie music. This second album featured studio collaborations with such renowned performers as Jamie Cullum, António Zambujo and Mário Laginha. Her public once again took to her work in droves and the album soon went gold. Luisa Sobral has continued to carve out a niche on the international scene, underpinned by a successful tour of Central Europe and an appearance at the historic SXSW Festival in Austin, Texas.

 

Having announced that she was expecting a child, Luisa made the conscious decision to follow-up on her success with an album dedicated for children. ‘Lu-Pu-i-Pi-sa-Pa’ went on sale in Autumn 2014 and was an instant hit with the younger generation. Once again, her fans repaid all her hard work and the album went gold, with the single ‘João’ playing its way into the hearts of millions of Portuguese.

 

For her fourth album, Luisa Sobral decided to try something a little riskier. She invited the famous American producer Joe Henry to work on her and challenged some of today’s top jazz musicians, including Marc Ribot, Greg Leisz, Jay Bellerose, Patrick Warren, David Piltch and Levon Henry, to come into the studio with her. The result is ‘Luisa’, which was immediately declared one of 2016’s best albums by Portuguese critics.

 

Luísa Sobral has reached a new level of creative maturity: even more secure, authentic and spontaneous. Over these years, her composer facet as also been highlighted. She wrote to prestigious artists such as Ana Moura, António Zambujo, Gisela João, Carolina Deslandes, Marco Rodrigues and Mayra Andrade, among others.

 

The start of 2017 saw Luisa Sobral kick off a nationwide tour of some 40 dates, many of which were sold out. She has also performed in Spain, Brazil and Holland. However, her crowning achievement may well have been winning the Eurovision Song Contest. RTP had invited Luísa to compose a song for the Portuguese Song Festival. She wrote ‘Amar Pelos Dois’ which she then gifted to her brother, Salvador Sobral, to perform. This sister and brother partnership was a huge success, winning the Portuguese competition and then the European one. It was the first time Portugal had ever won the Eurovision Song Contest and also the first time that the European public had chosen a jazz tune as the winner.

 

‘Amar pelos Dois’ has consecrated Luísa Sobral as one of the most important and prestigious composers of the new generation of Portuguese artists. She received the Composition Prize Marcel Bezençon (creator of the Eurovision Song Contest), the Prémio Autores SPA (SPA Authors Award) and the Globo de Ouro (Golden Globe Award) for Best Music.

 

In 2018, together with his brother Salvador, Luísa received the Martha de la Cal Prize award by the Association of the Foreign Press in Portugal (AIEP) that distinguished them as Personalities of the Year. At the same ceremony, the President of the Portuguese Republic decorated the two artists with the degree of Commanders of the Order of Merit for the ‘singular success’ they achieved.

 

After a few months, Luísa returned to the studio to record her fifth album. To handle production, she invited the catalan Raül Refree one of the most prestigious producers and multi-instrumentalists in Spain, who worked with such distinguished names as Sílvia Pérez Cruz, Rosalía, Mala Rodríguez or Lee Ranaldo from Sonic Youth.

 

‘Rosa’ is the most personal, mature and intimate album by Luísa Sobral. The beauty of the compositions is enhanced by the stripping of the arrangements and the creative complicity between Luisa and Refree. Voice and guitars are joined a trio of woodwinds composed by fliscorne, tuba and horn and some elements of classic percussion like marimba.

 

‘Rosa’ is made of stories, some are real, some less. It is a very ‘raw’ record, with  eleven songs written in Portuguese, where words and melodies are the essence.

 

In 2019, Luísa Sobral returns to portuguese and international stages with a new lineup and the invitation to sing in person the stories from ‘Rosa’.

CONTACTS

Booking 
PAULO SOUSA MARTINS
+351 919 417 666
booking@luisasobral.com

Newsletter

* indicates required

You can unsubscribe at any time by clicking the link in the footer of our emails.